Follow by Email

sábado, 17 de janeiro de 2015

Mais um texto sobre New Haven: A biblioteca Bienecke da Universidade de Yale

A universidade de Yale possui um campus inserido na cidade de New Haven, sem qualquer separação entre o que é a cidade e o que são os edifícios da escola. Além dessa falta de limites entre o campus e a cidade, Yale apresenta uma série de edifícios de arquitetos renomados do movimento moderno, tais como Loui I. Khan, com a Galeria de Artes ou a galeria de Artes Britânica, Eero Saarinem com o Estádio de Hockey no Gelo ou o College Ezra Stiles, e  Paul Rudolf com a Escola de Arquitetura. Os edifícios modernos se inserem numa predominância de outras obras de gosto neo-gótico, com gestos invariáveis de contextualismo crítico.

Um dos edifícios mais emblemáticos do campus de Yale na cidade de New Haven é a Biblioteca Bienecke, que abriga a coleção de livros raros da universidade. O projeto é do arquiteto Gordon Bunschaft contratado pela Skidmore Owings and Merril, SOM arquitetura, e a construção se realizou entre os anos de 1960 e 1963. No ano de 2013 ela completou cinquenta anos de construção com uma série de eventos celebratórios, que envolveram concertos, leituras e palestras, dentre as últimas pode-se destacar; uma do diretor da escola de arquitetura de Yale, Robert A. M. Stern, da qual pode-se ouvir um resumo no link abaixo, e outra de Umberto Eco.

Dois dos quatro pilares piramidais da Bienecken, na face da entrada
O edifício envolve uma composição arquitetônica extremamente simples e objetiva, um grande cubo prismático composto por quatro vigas virandel, que se apoiam em quatro pilares em forma piramidal. A projeção horizontal da grande caixa do edifício é retangular, havendo um pavimento no subsolo, que se abre para um pátio também retangular. No meio desse grande cubo retangular composto pelas vigas virandel, emerge uma imensa caixa de vidro, que abriga as edições mais
preciosas das bibliotecas de Yale. A vedação das vigas virandel é feita por um mármore de três centímetros de espessura, que num efeito similar ao do alabastro filtra a luz externa para o interior da biblioteca, por seus veios. As instalações mecânicas de ar condicionado controlam com absoluto rigor os padrões de umidade e outros parâmetros para a saúde desse magnífico acervo. A biblioteca entrará em reforma em maio de 2015 para atualizar os seus mecanismos de controle ambiental, numa demonstração do excesso de zelo que essa preservação envolve.

Planta e Corte da Biblioteca Bienecken
O edifício da Bienecke impressiona por seu caráter excepcional dentro do contínuo do campus na área do antigo centro de New Haven, ele claramente se posiciona como uma exceção  uma descontinuidade. E, mesmo se comparado com a Biblioteca Sterling, que representa outra grande concentração de livros, que se utiliza de claras analogias com as catedrais góticas da Inglaterra, e que está próxima da Bienecken, percebemos no edifício de Gordon Bunschaft um gesto único de grande potência, capaz de celebrar o seu conteúdo de forma adequada. Há nesse edifício uma espetacular profundidade ao celebrar o maravilhoso acervo raro da Bienecke, algo muito simples mas ao mesmo tempo belo e muito forte...

Abaixo o link do video do diretor da Escola de Arquitetura de Yale Robert A. M. Stern

http://cdnapi.kaltura.com/index.php/extwidget/openGraph/wid/1_r6fyrhvk

Nenhum comentário:

Postar um comentário