Follow by Email

domingo, 7 de abril de 2013

A cidade de Rio Grande no Rio Grande do Sul

A cidade de Rio Grande ao sul de Porto Alegre é um interessante exemplo da rede de municípios do Brasil e do seu potencial turístico e cultural. Localizada na foz da Lagoa dos Patos, é um importante porto brasileiro e a mais antiga cidade do estado do Rio Grande do Sul, fundada em 1737.

Ela possui um patrimônio arquitetônico invejável, com exemplares importantes de diferentes periodos e sensibilidades. No entanto, a cidade como outras no Brasil, se ressente de uma articulação estruturada entre estes exemplares, que poderia ser obtido com um tratamento adequado do seu espaço público, ruas e calçadas. Este tratamento do espaço público permitiria ao visitante desfrutar destes exemplares de forma mais confortável, valorizando de forma importante este patrimônio. Além disto, alguns exemplares como a antiga Alfândega não podem ser visitados no seu espaço interno. O poder público deveria procurar novos usos que permitissem ao visitante desfrutar desta espacialidade interna, oferecendo aos seus visitantes este importante patrimõnio arquitetônico.

Abaixo a antiga Alfândega e o mercado de peixe da cidade de Rio Grande.


Seminário na cidade de Rio Grande no Rio Grande do Sul discute a produção de moradia no Brasil

O Seminário Q+50 discute a produção da moradia no Brasil contemporâneo. Dentre as propostas que circulam nas salas de debate há um cardápio de alternativas para reformar o programa do Governo Federal denominado Minha Casa Minha Vida (MCMV). Dentre elas destaco o decálogo abaixo:

1. Conferir protagonismo à familia para que ela escolha seu financiamento, seu bairro e sua moradia
2. Promover empreendimentos inseridos na cidade existente, onde exista mistura de usos e rendas
3. Pulverização em pequenos empreendimentos das iniciativas
4. Garantir a universalização dos serviços públicos (água, esgoto, lixo, iluminação, etc...) em todas as partes da cidade brasileira
5. Articulação do Programa MCMV com pré-existências como favelas e aglomerações populares, promovendo sua integração
6. Não admitir a expansão da cidade existente
7. Gestões efetivas baseadas no Estatuto da Cidade para controlar o valor da terra urbana
8. Ampliar e divulgar as opções de financiamento
9. Empoderar os municípios na promoção dos empreendimentos do MCMV
10. Conferir protagonismo ao Plano e ao Projeto como instrumentos capacitados para avaliar os custos e benefícios dos empreendimentos.

Promovido pelo IAB, a segunda edição do ciclo Seminários de Política Urbana Q+50, que tem como objetivos reforçar a agenda política das cidades e das metrópoles brasileiras e comemorar os 50 anos do histórico Seminário Nacional de Habitação Urbana, realizado no Hotel Quitandinha em 1963
. As próximas edições serão em São Paulo, Brasília, Minas Gerais, Bahia e Amazonas.

PUI São Domingos em Medellin