Follow by Email

terça-feira, 4 de novembro de 2014

Favela de Parque Royal, manutenção ou deterioração da informalidade

A favela manutenção ou deterioração da urbanidade
O site "Entenda a Favela" do jornalista Daniel De Plá publicou uma série de vídeos comigo e o presidente da Associação de Moradores de Parque Royal na Ilha do Governador, para debater o tema da informalidade nas cidades brasileiras. A Favela de Parque Royal fica na beira da Baía de Guanabara e foi urbanizada em 1996 no contexto do Programa Favela Bairro, com projeto do escritório Archi 5 arquitetos associados ltda, coordenado por mim. A favela de Parque Royal foi reconhecida como uma experiência de urbanização bem sucedida, tanto por organismos internacionais, como também nacionais. Comprovando tal fato está sua presença na Bienal Internacional de Arquitetura de Veneza de 2002, na exposição do Pavilhão Brasileiro denominada Favela Upgrading.

Os vídeos mostram no meu entendimento, que as favelas demandam do poder público um cuidado constante com a manutenção dos serviços públicos, que ao final demonstram a sua efetiva presença nessas localidades. A compreensão e a auto-estima das comunidades é um potencializador do controle sobre o estímulo ou desestímulo da informalidade. A presença de serviços públicos, tais como coleta de esgotos, distribuição de água, coleta de lixos, arruamento, iluminação, drenagem, segurança enfatizam para a comunidade a existência do estado de direito, construindo a sensação de pertencimento à cidade. A presença continuada das concessionárias e dos serviços públicos em geral constroem a idéia de pertencimento à cidade, transformando essas áreas em bairros específicos do contínuo urbanizado. Portanto as ações do poder público devem visar essa continuidade, para que a integração seja efetiva. É óbvio, que essa ação envolve um combate continuado a uma série de preconceitos estabelecidos em nossa sociedade, inclusive nos funcionários públicos e das concessionárias, que muitas vezes permanecem considerando essas áreas como excepcionais, mesmo após a urbanização. É também claro que as próprias comunidades precisam ser responsabilizadas por suas práticas, buscando se adequar aos padrões gerais de funcionamento do conjunto edificado da cidade.

Vejam os filmes nos links abaixo:

/http://www.entendafavela.com.br/conflito-cedae-e-prefeitura-no-esgoto-da-favela/

http://www.entendafavela.com.br/conflito-do-publico-e-privado-na-favela/

http://www.entendafavela.com.br/moradores-contruiram-a-favela-do-parque-royal/