Follow by Email

domingo, 25 de outubro de 2015

A palestra da arquiteta Cristina Garcez, radicada em Paris sobre as formas de contratação do projeto

Palestra da arquiteta Cristna Garcez no IAB-RJ
A arquiteta Maria Cristina Garcez, brasileira formada em Florença, e trabalhando atualmente na França fez uma palestra no auditório do IAB-RJ, nessa última terça feira dia 20 de outubro de 2015, sobre as formas de contratação de plano e projeto de urbanismo na França. A arquiteta comanda o escritório de estratégias territoriais, que está vinculado a dois ministérios do governo francês, o da Ecologia e Desenvolvimento Sustentável, e o da Habitação, Igualdade do Território e Espaços Rurais. Uma palestra notável, que demonstra como as ações de planejar e projetar são encaradas como fundamentais para que as obras e mudanças tenham transparência, controle e possam ser colocadas em uma matriz de prioridades. As questões ambientais da ocupação humana do território permearam todos os projetos apresentados, demonstrando a sua importância contemporânea.

Por outro lado, foi mostrado como a espacialização dos problemas, o projeto, possui uma enorme capacidade de mobilizar o interesse das pessoas, em contraposição à construção de diagnósticos exaustivos, que não objetivam as proposições. No Brasil, atualmente o desenvolvimento de qualquer projeto urbano envolve uma fase inicial de diagnóstico, ou de levantamento das condições do contexto em que se vai interferir. Cristina Garcez apresentou como item fundamental de sua metodologia, a explicitação inicial e primeira da intervenção, da mudança proposta, enfim do projeto, sem a construção exaustiva de diagnósticos, que não apresentam qualquer objetividade. É preciso começar a reconhecer que o trabalho de plano e projeto envolve uma maneira particular de enfrentamento do real. Ele na verdade é uma forma de conhecimento, que se arrisca em proposições, para o vir a ser de um determinado contexto, uma ação muito mais vinculada ao prognóstico, do que ao diagnóstico.

A vivência cotidiana dos problemas ambientais
Outro elemento fundamental da sua apresentação versou sobre a questão da escala dos projetos, que muitas vezes por sua dinâmica ambiental envolvem dimensões regionais; bacias hidrográficas, interfaces com marés, dinâmicas entre vales e montanhas, etc..A espacialização dos problemas torna-os mais acessíveis ao conjunto da população e ususários diversos, uma vez que eles são vivenciados no cotidiano de suas próprias vidas. O projeto humano de ocupação do território se inter relaciona fortemente com os problemas ambientais, dando-lhes o verdadeiro sentido de urgência da sua mudança, a partir do desenho ou da forma como se estrutura o campo, a cidade e os parques intocados.

O que foi notável na apresentação da arquiteta Cristina Garcez no IAB-RJ foi sua ênfase na questão do projeto, como um esforço inicial de confrontação de diversas hipóteses, que a partir da discussão e do debate afunilam para convergências que determinam; o que fazer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário