Follow by Email

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Exposição do arquiteto Harry Seidler

Está exposto na sede do IAB-RJ a obra de Harry Seidler, arquiteto austríaco, que viveu na Austrália desde o final da segunda guerra mundial até o começo do século XXI. A exposição fica exposta na sede do IAB-RJ do dia 11 de abril a 16 de maio de 2014, mostrando um interessante painel da prática de projeto do segundo pós guerra, até o inicio do século XXI. Harry Seidler nasceu em Viena em 1923 numa familia judaica, com a invasão de Hitler da Austria em 1938, a familia se dividiu, tendo sua mãe ido para a Australia e o jovem Seidler ido para a Inglaterra. Até aqui a narrativa parece se referir a uma série de relatos ocorridos nas décadas de trinta e quarenta, com o início da segunda guerra mundial.

No entanto, o video mostrado na exposição, logo em seu inicio apresenta um intrigante acontecimento, ocorrido na Inglaterra logo no inicio da segunda guerra mundial, com o jovem Harry Seidler, sem explicitar uma justificativa para tais acontecimentos. Seidler, então com dezessete anos é preso na Inglaterra a princípio por ser um imigrante ilegal, e é deportado para o Canadá, onde viverá num campo de concentração no Novo Mundo na cidade de Quebec. No video há uma narração impressionante de Seidler sobre a viagem num navio entre a Inglaterra e o Canadá, onde os oficiais nazistas ocupam os espaços da primeira classe, enquanto ele e outros deportados são instalados nos porões do navio. A prisão e a deportação de Seidler da Inglaterra é realizada no ano de 1940, portanto no ano seguinte da sua declaração de guerra à Alemanha. O mais estranho é que Seidler é instalado num campo para deportados no Canadá? E, compartilha o alojamento com um comunista austríaco, que havia lutado na Guerra Civil Espanhola. Pensei em várias hipóteses para explicar o ocorrido:

1. Essa era reação corriqueira dos aliados ocidentais aos deportados judeus da Alemanha?
2. Judeus e comunistas eram vistos na época como criminosos pelos aliados?

De qualquer maneira ficam as dúvidas relativas aos tratamentos privilegiados dispensados aos oficiais alemães no navio no qual Seidler empreende sua viagem. Vale a pena conferir na sede do IAB-RJ, na rua do Pinheiro, 10 bairro do Flamengo, perto da estação do Metrô do Largo do Machado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário