Follow by Email

sexta-feira, 14 de março de 2014

A prefeitura do Rio de Janeiro não reverte inércias instaladas no mercado imobiliário da cidade

Foi publicado hoje no O Globo, que a prefeitura da cidade do Rio de Janeiro realocará os 2.800 quartos previstos para abrigar a Vila de Árbitros da Olimpíada, que seriam construídos no Porto Olímpico para a Barra da Tijuca. Dei entrevista ao repórter, que no entanto omitiu meu depoimento, exemplificando o contraditório com as falas do presidente do IAB Nacional Sérgio Magalhães e com o arquiteto João Pedro Beckheuser. A gravidade da transferência da Vila de Árbitros da Zona do Porto para a Barra da Tijuca advém do fato de que o setor imobiliário carioca, no nicho habitacional, já investe na Barra não precisando de qualquer estímulo para tal. Na Zona Portuária, que tende a se transformar numa região com empreendimentos exclusivamente corporativos, - com predominância de edifícios de escritórios - precisando que o poder público estimule o setor imobiliário para haver lançamentos habitacionais. Portanto, a tendência do mercado imobiliário é transformar a Zona Portuária em um contínuo de edifícios corporativos, sem qualquer habitação.

A íntegra da matéria está no link abaixo.

http://oglobo.globo.com/rio/paes-quer-que-arbitros-jornalistas-fiquem-na-barra-nos-jogos-de-2016-11877405

Um comentário:

  1. Contradições lamentáveis, onde se estudava a implantação de habitações no centro do rio, onde traria vida nos finais de semana, agora, depois de muito investimento, ir contra essas ideias. Para que fazer planejamento e investir tanto???

    ResponderExcluir