Follow by Email

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Desafios das próximas gestões das cidades brasileiras e do Rio de Janeiro

Rede de mobilidade da cidade, com alguns trechos ainda em projeto

O texto que escrevi sobre a transparência e a gestão de projetos para o município do Rio de Janeiro defende a ideia, de que a explicitação dos programas, planos e projetos a serem realizados pela gestão política é um poderoso instrumento para tomada de consciência do modelo de cidade, que pretendemos legar para as gerações futuras. O processo de desenvolvimento dos planos e projetos são uma oportunidade única para checar se as prioridades apontadas atendem as demandas do interesse público geral, ou estão aprisionadas por interesses particulares. Essa atitude garante ao governante e aos governados a pactuação de um modelo de cidade a ser perseguido, dando mais clareza sobre as transformações prioritárias e as de menor monta.

No texto defendo a ideia de que três eixos devem ser prioritários na cidade do metropolitana do Rio de Janeiro; a questão da moradia articulada à urbanização de favelas, a mobilidade urbana e o meio ambiente. Na figura mostrada acima, da Rede de Mobilidade da cidade metropolitana do Rio de Janeiro percebe-se alguns trechos que ainda não foram entregues a população, como o BRT da Transolímpica e a Linha 3 do metrô, que liga Itaboraí ao centro de Niterói. Obras fundamentais para a melhoria da mobilidade na cidade, uma está para ser inaugurada, enquanto a segunda ainda nem foi iniciada. Além da mobilidade menciono a questão da despoluição da Baía de Guanabara como principal eixo do meio ambiente e a articulação entre construção de novas unidades habitacionais (Programa Minha casa, Minha vida) e a requalificação das favelas.

Abaixo um trecho do texto e o link do site do IAB-RJ, onde o artigo pode ser lido na íntegra.

"A prefiguração de planos e projetos por governantes permite que os governados avaliem sua relevância, seu grau de prioridade, comparem as propostas do ponto de vista de seu custo e benefício, enfim, a sua adequação ao interesse público. A prefiguração das propostas, em suas fases iniciais da concepção e da ideia, permite ao governante aprovar uma pauta de transformações, que são de interesse geral, evitando o aprisionamento da sua gestão por grupos de pressão particulares e específicos."

http://www.iabrj.org.br/os-desafios-da-cidade-do-rio-de-janeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário